Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Creme Pimenta

Qui | 27.09.18

Carlota, a sublinhadora

No início do ano lectivo, a C. trouxe a habitual folha com horário, datas importantes e afins e avisou: "mãe, sublinhei o mais importante!"

Aqui está o resultado final:

PhotoGrid_1538043068090.png

 Parece que era TUDO importante...

Ter | 25.09.18

Fotografias: as verdadeiras viagens no tempo

A fotografia tem o poder não só de nos recordar de uma memória. Boa ou má. Mas tem também o poder de nos transportar no tempo.

Ao olhar uma imagem eternizada pela foto, quase conseguimos lembrar os cheiros e os sentimentos de um tempo que já passou.

É pela foto que vemos como o tempo passa. Que recordamos lugares e pessoas. Mas também que nos lembramos do cheiro dos nossos filhos recém-nascidos. E de como eram pequenos quando chegaram aos nossos braços.

É pelas fotos que lembramos o cheiro a maresia daquele fim de tarde das férias de Verão que guardamos no coração.

Mas é também pelas fotografias que (re)conhecemos familiares ou aprendemos como chegámos à família que o destino tinha para nós reservada.

É por isso que as fotografias são poderosas. Valem mais que mil palavras dizem. Perduram.

Sempre gostei de fotografia e, modéstia à parte, consigo alguns disparos com (alguma) qualidade...acho...

Mas para aqueles momentos mesmo especiais gosto de recorrer a profissionais. Aqueles que mais do que nos orientar em posses estranhas e muito fora da nossa zona de conforto, sabem esperar pelo momento certo para disparar. Ou aqueles que nos colocam à vontade no papel de modelos por umas horas numa sessão da qual vamos guardar religiosamente cada disparo da objectiva.

Sempre gostei mais de estar atrás da câmara. Aliás, nas nossas fotos amadoras de férias são poucas as imagens onde eu apareço. Mas o mesmo não fiz com as minhas filhas.

De uma primeira sessão ainda em bebés, adoptei o hábito de fazer-lhes uma sessão anual com uma fotografa profissional, da qual escolhia as fotos para o postal de aniversário.

CP_fotos.png
Quase 7 anos separam estes albúns, mas algumas fotos é dificil saber quem é quem 


Mas a minha fotógrafa deixou a profissão e eu sinto-me perdida...não sei bem a quem recorrer agora que se aproxima o 10.º aniversário (10.º escrevi eu...) da C.

Entretanto descobri a Fixando, a plataforma online que pretende facilitar a contratação de serviços. Basicamente é uma rede que junta prestadores de serviços das mais variadas áreas. O cliente só tem de apresentar o serviço que precisa, responder a algumas perguntas sobre o que pretende e em 48 horas será contactado por até cinco profissionais. Basta comparar as propostas e escolher o que mais se adequado ao serviço que pretende!

Por exemplo, para pesquisar dentro da área da fotografia, podemos usei este link para pesquisar os Top Fotógrafos no Porto.

Agora é só aguardar, comparar e contratar!

Seg | 24.09.18

Às minhas filhas

Se, por vezes, dou destaque público às dores de cabeça matinais, acho que também será justo reconhecer uma manhã (mais) tranquila.

parenting1.png

Obrigado miúdas!

Por via das dúvidas, no final da semana voltamos ao tema e fazemos o saldo, sim?

parenting.png

 

 

 

 

Ter | 18.09.18

Desabafos da Maternidade #1

crianças.png

 

 

 

 

Seg | 17.09.18

O que ficou por dizer à criança que me tentou vender meias no estacionamento do supermercado

Há dias estava a acabar de estacionar no parque de um supermercado, quando uma miúda (acabada de ser instruída por um adulto a ficar "daquele lado" do parque) me perguntou se eu não queria comprar um conjunto de meias.

À minha resposta negativa ela, não mais do 5/6 anos, respondeu: "Vá lá, tenho dois irmãos para alimentar..."

Aquela frase ficou-me na cabeça e o que eu queria ter dito àquela miúda era que não.

Não tens dois irmãos para alimentar. Tu tens é o direito de ser criança. Tens de estudar e brincar. Brincar muito. E tens o direito de ter alguém que cuide de ti e que te alimente. A ti e aos teus irmãos.

Tudo isto ficou por dizer naquele parque de estacionamento onde já não estavas quando voltei a sair.

Neste dia em que as minhas filhas, como milhares e milhares de miúdos no país estão de volta à escola, questiono-me quantas crianças haverá que não estão de regresso ou será até que alguma vez se sentaram nos bancos da escola? Quantos continuarão a vender meias ou outras por aí sem terem o direito a uma educação, carregando nos seus ombros a carga dos "dois irmãos para alimentar"...

Dom | 09.09.18

Há ir e voltar?

Volto. Não volto. Devo voltar?

Ainda anda alguém por aí???

IMG_20180821_173113.jpg